POR:

WAGNER MANSOLELLI

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

sexta-feira, 11 de outubro de 2013














POEMA DESNORTEADO


Vim do Oeste...

Chuva...

Fui pro Leste...

Trovoadas...

Sul depois...

Neblina...

Norte só a dois...

Límpido anil...

Só, me sinto desnorteado...

Um par ansiado... buscado...

A cada leste, oeste, sul ou norte, vejo meus versos em morte...


Falta musa...

A solidão a mim acusa (erros meus geraram adeus)


Noroeste, nordeste, sudeste, sudoeste... mera geografia... minha fobia 


Tentativas tolas de buscar caminho em bussolas viciadas... avariadas!

Sem destino é meu nome...

Linhas e regras me consomem... acaba o homem...

Saudades de norte a sul á espera de novo céu azul!


(WAGNER DOS AIS)

terça-feira, 13 de agosto de 2013


         Lábios rindo...
                  Já não sinto...
                              Minto..
                                  Admito...
                 Acaba o mito...
            Eximido...
Desistido...

Pelas palavras demitido...
        Esquece-las meu delito...
                       De volta ao rito...
Outra vez me perco no EU labirinto!

(Wagner dos Ais)



Essa noite o sono não veio...
E pensando esses pensares doces que a vida nos dá,
Coloquei-me rumo ao sentir
No caminho me vi em noite enluarada
Tinha as estrelas como teto
Sentindo o orvalho em meu rosto
A caricia do vento em minha pele
Todo esse sentimento que um dia achei piegas
Via como empecilho á bela poesia...
Embargo aos belos dizeres...
E na caminhada tudo me vem
Os encontros, desencontros
Verdades, e sofreres
Tudo que construiu uma nova e bela história
Quando me dei conta já estava a pensar no doce amor
Então notei, dormia e sonhava
Um sonho tão doce que mais parecia uma confeitaria
Confeitos dessa moça
Acordei!!!


(Wagner dos Ais) nos umbrais!!