POR:

WAGNER MANSOLELLI

segunda-feira, 13 de abril de 2009

NÃO SONHO, NÃO SEI

Perambulando entre edifícios de gélido concreto,

Lamentos verticais!

Olhando prum alto tenebroso e sem esperança,

Cheio de pombos adoecidos de tédio,

Sentindo o frigido do desconsolo,

Soluçando entre prantos de abandono,

Ali estou, só, tristonho, desamparado,

Nada me é consorte,

Sempre andando rumo a um ignorado destino,

E aquela vontade que jaz nem lembrança deixa,

As dores, o sofrer causticante de existir,

A cidade tão cheia e vazia,

Os olhares divagantes de seres inanimados,

Sempre a olhar pra vitrines que vendem falsas belezas,

Uma beleza de aspecto tosco a meus olhos,

O desejo por objetos sem alma, sem vida,

Uma cidade fantasma e impiedosa,

Tudo mostra o quanto já não vivo,

Já não sonho,

Já não sei !!!!!

6 comentários:

Vera disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fátim@ Pedro disse...

"Os artistas são seres que vivem entre o céu e a terra, numa nuvem só deles e que por isso deveríamos ama-los, entendê-los e eventualmente perdoá-lo, quando às vezes nos magoarem."

Parabéns Wagner, por nos presentear com seus encantadores poemas...

Ianê Mello disse...

Mais uma vez parabéns, querido amigo, pela beleza de seus poemas que tocam profundamente nossa alma.

Maria Salete disse...

Lindos poemas! parabéns!!Bjs!

Maria Salete disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sonia disse...

VISITEI SEU BLOG. LINDO! POEMAS QUE TOCAM NOSSA ALMA!!PARABENS! CONTINUES MARAVILAHNDO-NOS COM SUA ARTE!GRANDE BEIJO