POR:

WAGNER MANSOLELLI

segunda-feira, 13 de abril de 2009

AMOR DEMODÉ

Desculpe-me por amar-te com um amor antigo,
Amor sem modernismos, insano até;
Absolva-me do crime de ser carinhoso;
Perdoa-me por ser zeloso;
Desculpe ainda por não aceitar 
dividir-te por tanto querer bem;
Enfim liberto-te do cárcere de minha adoração;
Sinta-se livre sem as amarras de um tolo sonhador, 
que vive de devaneios de um amor puro;
Cá fico a viver lembranças de algo que nunca existiu,
De algo puro e de pensamentos só de um pro outro,
Pedindo-lhe perdão entrego-me ao fenecer,
Desculpe-me, perdoa-me, absolva-me
Da ingenuidade de um amor démodé!!!!!!!!!!
(Wagner)

5 comentários:

Vera disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Vera disse...

Se me amassem assim jamais seria a mesma, palvras, sentimentos, chega a me dar falta de ar poeta

elvira disse...

Estou passando no seu espaço pela primeira vez,e adorando tudo que li até o momento..!

Parei um pouco mais para aqui,para dizer que está perdoado por Amar tão lindamente...!!!

Parabéns Poeta!!!

JULIA disse...

Visitando seu espaço e amei...
lindo... lindo!!!
em especial... Amor demodé que de demodé nada tem, pois é sempre tão atual a necessidade de termos um amor assim. que falta faz...

Ianê Mello disse...

Um amor assim não se perdoa, se vive. Sem mais palavras... Parabéns por amar assim!